Palestra sobre direito das mulheres abre campanha “+ Que Respeito”

Começou, na última terça-feira (23/08), transmitida gratuitamente ao público pelo canal Comunicação Energia, no Youtube,  a campanha “+ Que Respeito. Um direito delas!“, promovida pelas empresas Tevisa, Linhares Geração, PCH Braço, Tropicália Transmissora e Povoação Energia, com o objetivo de somar esforços no combate à violência contra mulher e gerar conscientização sobre a garantia de seus direitos.

A abertura do evento virtual foi feita, às 15h, pela jornalista e consultora de comunicação, Dani Klein, e coube a advogada, professora universitária, diretora da OAB Mulher Leopoldina/RJ e secretária geral da Comissão da Mulher da Associação Brasileira de Advogados do RJ, Patrícia Bordinhão, ministrar o tema  “O que é o direito delas?”. Cerca de 46 pessoas participaram simultaneamente do evento.

A palestra trouxe informações, como a origem dessa violência contra mulher, um problema fortemente enraizado no mundo e foi se naturalizando durante o tempo. Resultado de uma cultura patriarcal da nossa sociedade. “A responsabilização pelas coisas ruins que aconteceram no mundo, historicamente, sempre foram delegadas à mulher, seja na mitologia grega ou na bíblia. Isso fica impregnado na sociedade, apesar de parecer inocente, mas legitima e fundamenta uma cultura de misoginia, que justifica a violência contra a mulher”, pontuou Patrícia.

Também foram esclarecidas a tipificação de assédios moral e sexual como crimes e feitas orientações sobre o comportamento profissional, sem toques e brincadeiras de cunho sexual ou que possam humilhar e/ou agredir subordinados ou colegas de trabalho. “Além disso, vale ressaltar que o assédio sexual não é caracterizado apenas quando se tem uma vítima hierarquicamente abaixo de seu agressor , atualmente, este tipo de crime é considerado independente se é descendente, ascendente ou horizontal”, ressaltou a advogada.

Outro ponto levantado foi sobre a questão da desobediência de homens às lideranças femininas. Neste quesito, Patrícia alertou que se trata de uma insubordinação, que pode levar a demissão por justa causa e, se comprovada a discriminação de gênero, o fato se agrava. “Se a insubordinação for por se tratar de uma líder mulher, pode caracterizar violência de gênero”.

 

Todas as empresas apoiadoras desta campanha possuem Código de Ética, estão alinhadas com a ODS 5 – Igualdade de gênero e dispõe de canais de denúncias 0800 independentes.

Para assistir a palestra na íntegra, basta acessar o canal Comunicação Energia no Youtube ou clicar aqui

 

Violência contra a mulher é qualquer ação ou conduta, baseada no gênero, que cause morte, dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico e moral à mulher, tanto no âmbito público como no privado (Fonte: TJSE).

 

A Campanha

Inspirados pelo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5 – Igualdade de Gênero, as empresas Tevisa, Linhares Geração, PCH Braço, Tropicália Transmissora e Povoação Energia se uniram à batalha para eliminar todas as formas de violência contra as mulheres e meninas.

As ações são voltadas a ajudar na conscientização e sensibilização, e trazem informações de forma aberta para acesso de toda a sociedade.

A Campanha “+ Que Respeito. Um direito delas” segue com outras ações de informação e debate em setembro! Acompanhe nossa programação no canal, se inscreva!

Publicado por KICK

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Este site não coleta cookies e usa dados pessoais de acordo com o nosso Aviso de Privacidade . Para mais informações, consulte AQUI. Ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.