Live discute cuidados e riscos do câncer de próstata

Especialista mostrou porque homens não gostam de ir ao médico e revelou detalhes para quem deseja fugir da doença que não costuma apresentar sintomas

Por que os homens não costumam ir ao médico? Você já parou para pensar que a maioria deles só busca ajuda quando tem alguma dor ou doença característica? A provocação da enfermeira Laiane Pereira da Silva, especialista em Gestão em Saúde e Qualidade de Vida, abriu a live Novembro Azul – Juntos na Luta Contra o Câncer de Próstata, realizada no dia 23 de novembro, no canal Comunicação Energia do Youtube.

A live foi uma realização conjunta da PCH Braço, Linhares Geração, Povoação Energia, Tevisa e Tropicália Transmissora, com o objetivo de conscientizar colaboradores das empresas do grupo sobre a importância da prevenção do câncer de próstata.

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele. A doença cresce lentamente e não costuma apresentar sintomas. Homens com histórico familiar de câncer, dieta rica em gorduras e pobre em verduras, vegetais e frutas, sedentarismo e excesso de peso devem redobrar a atenção.

Machismo X Saúde

Durante a conversa, a especialista mostrou porque as tradições da nossa sociedade afastam os homens do cuidado com a saúde física e mental em todos os ciclos da vida e em todas as faixas etárias. “É uma questão cultural. As meninas são educadas a dar continuidade à prevenção enquanto os rapazes não têm esse direcionamento e, muitas vezes, não entendem a importância de cuidar da saúde de uma forma integral”, explica.

De acordo com a enfermeira, apesar de avanços recentes, os homens, no geral, são criados para não demonstrar sentimentos e vulnerabilidades, para não ficar doente, para não chorar. Assim, exames e rotinas associados ao câncer de próstata podem ser alvo de preconceitos e piadas, o que atrapalha de forma considerável o diagnóstico da doença.

Laiane Pereira da Silva aproveitou a live para relembrar as origens da campanha Novembro Azul. A iniciativa foi criada na Austrália, em 2003, pelos amigos Travis Garone e Luke Slattery. Inspirados pela campanha do Outubro Rosa, de prevenção ao câncer de mama, os dois decidiram deixar o bigode crescer em nome da divulgação de uma campanha de saúde masculina. A ação cresceu no ano seguinte e deu origem ao Novembro Azul.

Tratamento e cuidados

A palestrante destacou ainda dados importantes e revelou detalhes sobre o diagnóstico, o tratamento, a prevenção e os fatores de risco do câncer de próstata.

Veja aqui o que ela diz sobre como evitar o câncer de próstata.

É importante lembrar que, segundo o Instituto Nacional do Câncer, em 2021, foram registrados mais de 65 mil novos casos da doença no Brasil. “Após os 50 anos, um a cada 6 homens terá câncer de próstata”, contabiliza a palestrante. No entanto, 90% dos casos podem ser curados quando diagnosticados precocemente.

Por outro lado, diariamente, 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata. O diagnóstico precoce é a única forma de garantir a cura da doença. Assim, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco ou a partir de 50 anos sem estes fatores devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar a presença de nódulos suspeitos na próstata e sobre o exame de sangue PSA.

A doença não apresenta sintomas na fase inicial. Na fase avançada, os principais sintomas são:

– Dor óssea

– Dores ao urinar

– Vontade de urinar com frequência

– Presença de sangue na urina e/ou no sêmen

Se você perdeu ou quer rever a live sobre o câncer de próstata, clique aqui.

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Este site não coleta cookies e usa dados pessoais de acordo com o nosso Aviso de Privacidade . Para mais informações, consulte AQUI. Ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.